Doenças Tratadas

HIPOPLASIA DE MEDULA

Imagem1

Quais as principais causas da doença? Dentre as causas de hipoplasia medular, incluem-se as de origem infecciosa, as induzidas por drogas, as associadas a toxinas e a radiação. Existem alguns casos nos quais a causa não é bem estabelecida, no entanto, a hipoplasia pode ser definida como idiopática por exclusão.

 

Como é realizado o diagnóstico? A avaliação do hemograma e a punção aspirativa da medula óssea são fundamentais para o diagnóstico de aplasia medular. Em alguns casos também é recomendada a biópsia medular.(BRAZZELL e WEISS, 2006)

 

Como é feito o tratamento?  O tratamento se baseia em combater a causa, estimular a medula óssea e modular o sistema imune. O fator estimulante de colônia para granulócitos recombinante humano (rhG-CSF) tem sido utilizados na tentativa de recuperar a atividade hematopoiética em cães, porém este parece não apresentar efeitos sobre as demais linhagens, sendo recomendado apenas no tratamento das neutropenias (LUCIDI e TAKAHIRA, 2007). Tentativas com altas doses de prednisona. ouciclosporina podem ser indicadas caso tenha-se excluído todas as outras causas. (Weiss 2003).

 

Tratamento com células-tronco: As Células-tronco atuam de duas formas na hipoplasia medular: estimulando a mitose das células da medula óssea e promovendo a imunomodulação.

OSTEOARTROSE

Quais as principais causas da doença?  A partir desse mês falaremos sobre as principais patologias que podem afetar nossos animais.
OSTEOARTROSE: é o problema articular mais comum entre cães, representando cerca de 70% dos casos de pacientes com problemas articulares. Mais de 50% dos casos de osteoartrose são observados em cães entre 8 e 13 anos de idade. Causada pela degeneração da cartilagem que reveste as articulações, trata-se de uma doença dolorosa, capaz de diminuir seriamente a qualidade de vida do animal.

Como é realizado o diagnóstico? O diagnóstico é feito pelo exame físico e diagnóstico
de imagem (Raio-X, tomo-grafia ou ressonância magnética).

Como é feito o tratamento Após a coleta, o tecido do animal passa pelo processo de cultivo das células para, depois, as aplicações serem feitas no animal. As células-tronco possuem a capacidade de diminuir a inflamação e promover a renovação da cartilagem.

Tratamento com células-tronco:  Após a coleta, o tecido do animal passa pelo processo de cultivo das células para, depois, as aplicações serem feitas no animal. As células-tronco possuem a capacidade de diminuir a inflamação e promover a renovação da cartilagem.

Imagem2

CINOMOSE

Imagem3

Quais as principais causas da doença? A Cinomose canina é uma doença infectocontagiosa causada por um vírus semelhante ao sarampo. A doença pode atingir vários níveis e se manifestar na região respiratória, oftálmica ou neurológica. As lesões causadas pelo vírus podem resultar em sequelas neurológicas

 

Como é realizado o diagnóstico? O diagnóstico da Cinomose é feito a partir de um teste feito com o sangue do animal, que irá detectar a presença do vírus. Para a sequela neurológica, não existe nenhum teste específico, utilizando-se, então, os sintomas clínicos como parâmetro. Após a fase virêmica, os animais podem permanecer com sequelas no sistema nervoso, tais como: tiques nervosos, convulsões, paralisias, espasmos musculares, dentre outros.

Como é feito o tratamento?   Após a realização da terapia de suporte para controle dos sintomas e estabilização do paciente, pode-se fazer uso das células-tronco para combater as sequelas neurológicas deixadas pela enfermidade. As células-tronco agem causando a neuroproteção e refazendo a estrutura de suporte do sistema nervoso, a bainha de mielina, o que diminui as movimentações involuntárias causadas pelo vírus da cinomose.

DOENÇA RENAL CRÔNICA

Quais as principais causas da doença?

A DRC é causada por um processo normal de envelhecimento, devido a uma infecção ou inflamação nos rins ou de forma congênita em animais jovens. Também pode ocorrer em decorrência da hipertensão arterial, diabetes e outras endocrinopatias. Os sinais mais comuns da doença são: o aumento do consumo de água, a micção alterada, perda de peso e vômitos.

Como é realizado o diagnóstico? Um diagnóstico de insuficiência renal crônica necessita de exame físico e diversos testes laboratoriais. O exame físico do animal afetado geralmente revela desidratação, caquexia ou grande perda de peso, mucosas ou gengivas descoradas, úlceras orais e mau hálito (hálito urêmico). Os testes de laboratório devem incluir hemograma completo e análise bioquímica de sangue e exame de urina. Outros exames, como cultura de urina, radiografias, ultra-som, aferição da pressão sanguínea também são indicados para se obter um diagnóstico completo da causa da doença.

Tratamento com células-tronco:  As células-tronco irão promover a renoproteção, ou seja, a proteção das células renais que o animal ainda possui. Essa função é atingida por meio da liberação de biofatores que irão promover o aumento do número de vasos sanguíneos no rim, a diminuição da morte celular, a diminuição da inflamação renal, a inibição da formação de fibrose e a imunomodulação.

Imagem4

CICATRIZAÇÃO DE FERIDA

Imagem5

Como é feito o tratamento.

O tratamento de feridas, na medicina veterinária, baseia-se especialmente nos cuidados para não infeccionar o local. Em muitos casos, por se tratar de feridas contaminadas, não é indicado dar pontos. Essas feridas abertas demoram mais para cicatrizar, o que aumenta o risco de infecções.

Tratamento com células-tronco:

As células-tronco exercem o efeito de modular o sistema imune em casos de feridas, estimulando a ação das células de defesa do organismo. Ainda, promovem a formação de novos vasos sanguíneos no local, secretam citocinas e fatores de crescimento que irão agir para que a ferida cicatrize mais rapidamente.

FRATURA ÓSSEA

Quais as principais causas da doença? Fraturas ósseas ocorrem rotineiramente por traumas, sendo causadoras de grande dor e desconforto nos animais acometidos.

Como é realizado o diagnóstico? O diagnóstico é realizado por meio de exame clínico acompanhado por exames de imagem.

Tratamento com células-tronco

As células-tronco são capazes de promover a regeneração óssea, se transformando diretamente em tecido ósseo quando aplicadas no local da fratura.

Resultados esperados:

Em casos de fraturas ósseas, o tempo de cicatrização e recuperação dos ossos são muito menores quando são aplicadas células-tronco no local da fratura. Em cães e gatos, as células-tronco são aplicadas para a reparação de fraturas em ossos longos, mandibulares e também em casos de necrose da cabeça do fêmur (Ito et al., 2006 ; Jin et al., 2012).

Referências Bibliográficas

Ito K, Yamada Y, Naiki T, et al: Simultaneous implant placement and bone regeneration around dental implants using tissue-engineered bone with fibrin glue, mesenchymal stem cells and platelet-rich plasma. Clin Oral Implants Res 2006;17:579–586.

Jin H., Xia B., Yu N., He B., Shen Y., Xiao L., Tong P. The effects of autologous bone marrow mesenchymal stem cell arterial perfusion on vascular repais and angiogenesis in osteonecrosis of the femoral head in dogs. Int. Orthop. 2012, 36:2589-2596.

Imagem6

ÚLCERA DE CÓRNEA

Imagem7

Quais as principais causas da doença? A úlcera de córnea é o problema ocular mais comum dentro da clínica veterinária, possuindo várias causas, sendo as mais comuns: trauma, corpo estranho, infecções

(Slatter, 2005).

Como é realizado o diagnóstico? Para o diagnóstico da úlcera de córnea, é necessário fazer um exame ocular detalhado, incluindo a utilização de corantes vitais na córnea, que coram de verde brilhante em presença da úlcera (Galera et al., 2009).

Tratamento com células-troncoAs células-tronco aplicadas para o tratamento da úlcera de córnea promovem a diminuição da inflamação, mobilização das células-tronco endógenas, liberação de citocinas e fatores de crescimento. Tudo isso provoca a diminuição da inflamação no local, provendo a rapidez na cicatrização. (Lan et al., 2012).

LESÕES TENDÍNEAS EM EQUINO

Como a tendinopatia ocorre?

A lesão em tendões ocorre devido ao excesso de exercícios ou força extrema no momento do esporte, corrida ou caminhada dos equinos. Também pode ocorrer em cães, especialmente quando nascem com alguma formação diferente da anatomia “normal”.

 

Como é feito o tratamento?

Quando os tendões são lesionados, eles tendem a cicatrizar naturalmente, mas as novas estruturas formadas são deficientes em comparação às iniciais (Dowling et al., 2000). Isto tem consequências importantes no desempenho do animal, pela diminuição na mobilidade, aumento no desconforto ao realizar atividades básicas como caminhar, trotar, correr, saltar.

Tratamento com células-tronco:

A lesão tendínea é a doença mais frequentemente tratada com células-tronco em equinos, já que essa terapia causa uma melhora significativa no retorno à atividade atlética em longo prazo (Nixon et al., 2012). Isso ocorre pois existem benefícios em termos de regeneração do tendão (Dahlgren et al., 2006), pois as células-tronco aplicadas provocam a reconstrução do tendão com o mesmo tipo de tecido funcional previamente existente, levando o animal a ter uma vida normal de atividades como antes da lesão.

Imagem8

DISCOPATIA

Imagem9

O que são as discopatias?

As discopatias, ou afecções do disco intervertebral, caracterizam-se pela degeneração do disco intervertebral causando a compressão da medula espinal e/ou aprisionamento das raízes nervosas (Yamamoto et al., 2004).

 

Como é realizado o diagnóstico?

Para o diagnóstico das discopatias, são indicados exames de imagem como a radiografia simples, mielografia, tomografia computadorizada ou ressonância magnética. Exames laboratoriais, como do líquido cerebroespinhal, podem complementar o diagnóstico (Fossum, 2008) e, dependendo do grau de acometimento e local da lesão, define-se o prognóstico e tratamento.

Como é feito o tratamento?

O tratamento para discopatias geralmente envolve o processo cirúrgico para descompressão da medula espinal. No pós-operatório costuma ser indicada a realização de fisioterapia para manutenção do tônus muscular.

 

Tratamento com células-tronco:

A aplicação das células-tronco pode ser realizada no momento da cirurgia ou no pós-operatório imediato. Os efeitos das células-tronco no organismo ocorrem devido à liberação de moléculas bioativas que diminuem a inflamação no local, modulam a resposta imune e ativam as células responsáveis pela recuperação da lesão. Dessa forma, as células-tronco possibilitam uma recuperação mais rápida e aumentam as chances do animal voltar a apresentar movimentação.